Alemanha: um destino perigoso

Lucas Moraes Pinheiro é estudante de engenharia mecatrônica na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e viajou no primeiro semestre de 2013 para a Alemanha. Lá ele cursou algumas matérias da área na Technische Universität München (TUM) e conta para nós os motivos de querer voltar pra lá, talvez logo, se possível, para ficar.

Boas-vindas geladas

Por que você escolheu a Alemanha para fazer o seu intercâmbio?

Em grande parte, por causa das oportunidades, tanto de estudos como para futuros empregos. A Alemanha é um país que possui grande avanço tecnológico, principalmente na minha área de estudos (Engenharia Mecatrônica). Como já havia feito curso de inglês, decidi começar o curso de alemão logo que entrei na faculdade. E disso surgiu o segundo motivo: passei a conhecer e me interessar pela cultura alemã, o que me deu vontade para continuar com os meus estudos do idioma e ir para a Alemanha de fato.

Foi necessário obter um visto?

Somente depois de já estar lá. Brasileiros e estrangeiros de algumas outras nacionalidades têm o prazo de 3 meses a partir da data de chegada no país para realizar o processo de obtenção do visto. Antes disso só é necessário registrar o local de moradia, mesmo que a estadia no endereço seja curta.

Por quanto tempo você estudou alemão antes de ir para lá?

Durante 3 anos. Mesmo assim tive que fazer mais um intensivo para poder compreender as aulas melhor, mas isso varia muito de pessoa para pessoa. Conheci inúmeros brasileiros com os mais variados graus de compreensão do alemão. Um amigo meu chegou a estudar apenas 7 meses, sozinho. Incrivelmente, ele era a pessoa que melhor falava a língua.

O que você mais te atrai na cultura alemã?

Cerveja alemã, sempre em doses singelas

O que mais me chamou a atenção e mais me faz falta é a organização característica deles. Isso é perceptível no dia-a-dia: tudo funciona do jeito e no horário corretos.

Quais são suas comidas e bebidas alemãs favoritas?

São coisas bem típicas: o Schnitzel, o Strudel de maçã… e, é claro, a cerveja!

Onde você morou? Em que época do ano você chegou ao país?

Eu morei num conjunto de apartamentos próprios para estudantes. Cada quarto possuía uma pequena cozinha e um banheiro. A localização era boa, no meio do caminho entre o centro de Munique e o campus onde eu estudava. Fiquei lá durante o primeiro semestre (chamado de semestre de verão) de 2013. No começo do semestre chegou a nevar (principalmente durante a época do curso intensivo de alemão), e depois o clima esquentou um pouco. Mas verão de verdade, só durante cerca de um mês e meio, mais para o final do semestre.

Departamento de Engenharia Mecânica da TUM

Você recomenda a universidade em que foi estudar?

Eu estudei na Technische Universität München (Universidade Técnica de Munique). Com certeza recomendo a TUM! Lá me foi oferecido todo tipo de apoio, até mesmo moradia (embora isso não seja tão comum, e eu tenha achado outro lugar mais interessante). Há também programas de tutores para estrangeiros, cursos intensivos de alemão (e várias outras línguas), palestras e passeios logo antes do começo do semestre para conhecer a faculdade e a cidade, entre outras oportunidades, como esportes.

Como foi sua recepção por parte dos alemães?

No geral a recepção foi boa. Sempre tem alguém que te olha torto, mas isso ocorreu raríssimas vezes, e nunca fui desrespeitado nem ofendido. Porém é bom lembrar que os alemães são um tanto mais frios que os brasileiros, o que chega a assustar um pouco no começo.

O que você recomendaria que um estudante estrangeiro colocasse na bagagem?

Dependendo da época do ano é bom levar agasalhos, mas não exageradamente (provavelmente vai ser preciso comprar algo que aqueça melhor por lá mesmo).

Qual foi a experiência mais difícil que você viveu durante o intercâmbio?

Não houve nenhum evento pontual complicado… acho que a primeira semana foi mais difícil. Tive que acertar vários documentos, me acostumar com a cidade, com o frio. Por outro lado, foi a semana que mais me marcou, exatamente por ter sido tão intensa, e pela emoção de ter chegado lá.

O que você acha dos preços na Alemanha?

No geral é tudo bem caro, inclusive nos mercados. Tínhamos um lema, que reflete bem a situação: “Quem converte, não se diverte!”. Poucas coisas eram mais baratas que aqui no Brasil, como os aparelhos eletrônicos.

Castelo em Heidelberg, cidade situada no vale do rio Neckar

Quais os lugares que você mais gostou de visitar?

Dentro da Alemanha (e sem contar Munique), os melhores passeios que fiz foram para Berlim (tem muita coisa para se ver na cidade inteira) e Heidelberg (por causa do castelo em ruínas). Viajei também para a Itália (Roma, Florença e Pizza), o que foi um excelente passeio!

Você tem vontade de ir morar na Alemanha definitivamente?

Sim, mas talvez somente daqui a alguns anos. A grande diferença que me faz querer voltar é a tranquilidade de saber que as coisas de fato funcionam. É uma questão bastante cultural. Se no fim eu acabar morando no Brasil mesmo, quero incorporar nas minhas ações mais do comprometimento alemão.

Alemanha: quem vai, não quer mais voltar pra casa 😦

Marina: “Meu pequeno alemão trazido de Munique”

Especial: outras cenas desse capítulo

A autora do blog:

– Lucas Moraes Pinheiro tem 22 anos, é um rapaz inteligente e muito gente boa… Ele também é meu namorado hahaha Viajamos durante o mesmo período para o exterior, uma decisão difícil, mas que valeu a pena. Quer saber mais sobre essa história? Tudo bem, eu conto.   🙂

Para ler, basta clicar aqui!

Anuncios
Categorías: Entrevistas | Etiquetas: , , , , , , | Deja un comentario

Navegador de artículos

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s

Crea un blog o un sitio web gratuitos con WordPress.com.

A %d blogueros les gusta esto: