“Você corre o risco de se apaixonar”

Pela Espanha, pela experiência dessa estudante, pela ideia de fazer um intercâmbio!

Ingrid Matos Rocha Bezerra Alves decidiu aceitar o desafio de conhecer um novo país e escolheu a Espanha para viver a sua aventura. Ela estuda relações públicas na Universidade de São Paulo e foi para Málaga sem medo de se descobrir e se apaixonar por todas as novas experiências que a viagem tem lhe apresentado.

Ingrid chegou à Espanha no segundo semestre de 2013

Por que você escolheu a Espanha para fazer intercâmbio?

Escolhi a Espanha, porque era um país que sempre tive vontade de conhecer, além de já ter mais facilidade com o idioma, pois fazia aulas de espanhol há três anos antes de vir. Outro fator importante foi a cultura e a paixão por cidades, principalmente, da região de Andalucia como Sevilla e Granada. Além disso, quando finalmente decidi que era o momento certo de fazer intercâmbio, comecei a procurar quais faculdades da Espanha eram boas em comunicação e finalmente fiquei em dúvida entre Madrid e Málaga, mas observei as grades de ambas e me apaixonei pela Universidad de Málaga (UMA), que oferece um curso de Publicidade e Relações Públicas juntos, enquanto a Universidad Carlos III, de Madrid, não tinha o curso de Relações Públicas.

Você está gostando das aulas da universidade? São muitas as diferenças em relação à ECA?

Eu sou simplesmente apaixonada pelas matérias que escolhi nessa universidade, mas o fato é que as universidades espanholas têm um volume muito maior de trabalho e provas do que a ECA, por exemplo. E, além disso, tenho aulas práticas de todas as minhas matérias durante 1h por semana, o que faz com que não tenha nenhum dia de folga, vou para a faculdade tanto de manhã  quanto a tarde, mesmo fazendo “só” quatro matérias este semestre. O ensino também é diferente, não sei dizer se melhor ou pior, mas diferente, eu gosto muito dessa obrigatoriedade de todas as semanas ver meus conteúdos na prática, penso que essa é uma ótima forma de consolidar alguns termos, técnicas e teorias em minhas práticas profissionais, além disso, as aulas teóricas não são “obrigatórias”, mas estão sempre cheias mesmo não tendo lista (acho isso realmente incrível porque infelizmente na ECA eu vejo que muitos alunos só vão por causa da chamada). Outra coisa de que gosto muito é a plataforma virtual deles, que se chama “campus virtual” onde os professores colocam todo o conteúdo das aulas: slides, textos pra ler, trechos de livros, vídeos, fotos e uma série de outros materiais que dão suporte contínuo ao aprendizado. Praticamente todas as entregas de trabalho também são feitas online.

Como você avalia seu crescimento no aprendizado do idioma? Além das aulas da faculdade, o que mais tem te ajudado a evoluir nos estudos do espanhol?

Em relação ao meu aprendizado do idioma, eu realmente acho que evoluí muito, hahaha é como viver o Darwinismo na prática, seleção natural, sabe? rs Se você não se esforçar ao máximo pra se sentir a vontade com o idioma, os espanhóis não falam muito com você (eles realmente não são simpáticos, são educados, mas na maior partes das vezes não são simpáticos) rs rs. Uma coisa que me ajudou muito foi o curso intensivo de espanhol que fiz 20 dias antes do início das aulas, é um curso pago, mas organizado pela própria universidade para estrangeiros, eu realmente fiquei muito satisfeita de ter feito este curso, os professores eram excelentes! Fiz uma prova de nível, tinha 2h de aulas de gramática todos os dias e mais 2h de expressão oral e leitura e escrita em espanhol, amei as aulas e amei mais ainda os amigos estrangeiros que fiz nesse curso, eles são as pessoas com quem mais convivo até hoje (estou há 3 meses aqui em Málaga). Além do curso, ir ao cinema, assistir aulas, ler muitos livros e conteúdos todos os dias em espanhol, e ter companheiras de apartamento que só falam comigo em espanhol, também tem sido fatores imprescindíveis para o meu crescimento no idioma.

Que festa ou evento cultural mais te chamou a atenção até agora? Por quê?

Mater Dei – Málaga

Tem um evento aqui que se chama “Mater Dei”, que me emocionou muito, principalmente porque sou católica. A Espanha ainda preserva suas tradições e ainda é muito católica. Nesse dia, eles fizeram uma procissão com 7 imagens diferentes da Virgem Maria, que foi passando pela cidade de Málaga e reuniu muita gente nas ruas, o que me fez ficar surpresa e extasiada. Aqui, um grande número de pessoas têm muito respeito pela Nossa Senhora. Outra coisa muito legal foi um desfile de moda que expôs as coleções dos melhores estilistas espanhóis em uma rua muito bonita que tem aqui no centro (foi quando eu me senti finalmente na Europa rs).

Que lugares você já conhece? Qual o seu destino preferido?

Devido ao ritmo difícil na faculdade ainda não consegui sair muito daqui, então, dei prioridade nesses primeiros meses para conhecer a Espanha, o que sempre foi um sonho meu: poder conhecer todas as cidades, (mas estou vendo que ainda não será dessa vez que vou conhecer tudo, rs). Já fui pra 4 cidades espanholas (Córdoba, Sevilla, Toledo e Madrid), uma cidade do Reino Unido que se chama Gibraltar e Lisboa, em Portugal. Até agora, eu amei cada cidade de um jeito diferente e por motivos diferentes, mas Madrid realmente excedeu totalmente as minhas expectativas, achei que era como São Paulo: muitos prédios, industrialização, trânsito etc, mas sinceramente não é. Madrid é fantástica, tem uma mescla linda e harmoniosa entre urbanização e história e Sevilla é uma cidade sem adjetivos de tão linda que é!

Gran Vía – Madrid/13

Plaza de España – Sevilla/13

Como tem estado o clima?

Em relação ao clima, eu cheguei no verão, então, Málaga estava perfeita, penso que vi sua melhor fase. Essa cidade é conhecida como “Costa del sol” e é realmente uma cidade linda, com praias bonitas e um pôr do sol pelo qual eu me derreto só com lembrar de tão lindo que é. Todos os dias o céu tem tons de cores diferentes, é uma coisa fora do comum! Nessa época, enfrentei temperaturas como 34 graus, mas, agora, com a chegada do inverno, está mais frio do que imaginei, as temperaturas ficam entre 6 e 12 graus à noite. No comecinho da manhã, não chega a fazer um frio de nevar, mas por ser uma cidade que tem praias o ar é muito úmido, logo, a sensação térmica sempre é menor do que o que mostram os termômetros.

Vista da janela do meu apartamento – Málaga/13

Vista da janela do meu apartamento – Málaga/13

Os espanhóis foram receptivos? Você tem se sentido acolhida?

hahahaha É…. Não…. eu achei que por ser uma cidade de Andalucia, que todos me diziam que era uma região da Espanha onde as pessoas são mais receptivas, eu seria muito bem acolhida, mas sinceramente eles sempre foram muito educados, mas não simpáticos ou acolhedores, pelo menos não a maioria. Claro que agora tenho amigas espanholas que são maravilhosas, mas foi difícil de encontrá-las rs. Acredito, realmente, que seja uma questão cultural, os espanhóis precisam ser “conquistados”. Até eles te conhecerem, saberem como você é em termos de responsabilidade, comprometimento, valores etc, eles não te dão tanta abertura. Compreender isso fez as coisas melhorarem muito, porque parei de achar que o problema era comigo.

Quais as principais expressões ou gírias que eles usam? Qual o significado delas em português?

Hummm vamos ver, eles falam coisas como:

Que guay! = que legal

Que chulo = é como “que bonito”, mas se eles usam “ella es muy chula” é algo pejorativo

“No pasa nada” = não tem problema, não se preocupe

“Porfa” = por favor

“Vale” = é como “ok” e eles usam muuuito! Para tudo!

“Oye” = é como “Olha”

“Irse de tapas hoy” = sair pra comer e beber alguma coisa

O que você recomendaria que um estudante estrangeiro colocasse na bagagem?

Eu recomendaria que se trouxesse um pouco de tudo, de verdade. Todos me falaram pra não trazer muita coisa, mas a maioria das companhias aéreas nos deixa trazer duas malas de 36kg e eu só trouxe uma grande e outra pequena. Me arrependi muito porque trouxe poucas roupas de verão, já que, teoricamente, o versão acabaria 20 dias depois da minha chegada. Assim, acabei tendo que comprar roupas de calor e não achei aqui nenhum shorts que não fosse muito curto, o que me fez ter que recorrer ao envio por correio de 3 shorts do Brasil pra cá (o que foi caríssimo).

Eu sugeriria também que você trouxesse roupas de que não gosta tanto, porque se precisar deixá-las para levar coisas que você comprou nas viagens, talvez, seja menos triste rs. Outro conselho importante é: não traga mais do que um livro, primeiro, por causa do peso e, segundo, porque você comprará livros aqui, são muitas as ofertas e você estará focado em aprender o idioma. Além disso, não traga tantos sapatos, traga algo confortável, como estudante ou turista você só precisa de conforto.

Você já passou por alguma situação difícil ou inesperada?

Passei por uma coisa um pouco chata com minha professora de fotografia, que inventou que tinha uma regra na faculdade que limitava o número de estudantes estrangeiros por turma. Segundo ela, só seria possível aceitar 5 Erasmus por grupo (Erasmus: pessoas que fazem intercâmbio e que são da Europa, mas a verdade é que na maioria das vezes nem fazemos essa distinção, nos chamamos de “Intercambistas”, assim, de uma forma geral). O fato é que tinham 12 Erasmus interessados em se inscrever na aula e ela demonstrou claramente que não queria tantos estrangeiros na matéria dela. Tivemos que ir até o departamento de Relações Internacionais para eles finalmente resolverem a situação com essa professora e ela foi obrigada a nos aceitar. 

Também tenho uma dona de apartamento louca, que não faz contrato de locação de espaço e que me pediu dois meses de fiança (quando o normal é só um… descobri isso depois que já tinha me apaixonado pelas minhas companheiras de piso). No começo, foi chato e discuti com a dona, porque as regras eram muito particulares e ela queria que nós cumpríssemos, mas aos poucos nos entendemos bem e hoje essa sensação de ódio já passou rs (só que, por favor, não cometa o mesmo erro que eu, alugue um apartamento com contrato e com tudo previamente acordado entre as duas partes, não se desespere se na sua primeira semana você não tiver onde ficar, é melhor procurar e escolher bem do que depois ter que discutir com alguém em outro idioma que não é o seu. Eu realmente tive sorte de morar com pessoas maravilhosas e, por isso, não saí logo em seguida.

Quais os seus pratos preferidos? E bebidas?

Bom, tem uma coisa aqui que chama “pisto”, que são verduras feitas com molho de tomate, simplesmente maravilhosas! Também gosto de berinjelas com mel, uma das “tapas” mais comuns aqui. Sem falar que tem muitas coisas feitas com camarão, além das “paellas” de mariscos,  de frango e de tudo que se possa imaginar. Quanto às bebidas, a coisa mais tradicional é o “tinto de verano”, que é como um vinho com gás, eu não gosto, porque não gosto de bebidas, muito menos de vinho rs, mas tem muita gente que ama e bebe isso como água, ou seja, todos os dias.

Foi possível perceber os efeitos da crise?

Sinceramente, essa foi uma das coisas com que fiquei mais indignada aqui, todos falam da crise, mas não vejo como ela realmente se dá na prática, não acontecem muitas manifestações, os restaurantes e bares continuam sempre muito cheios, os espanhóis continuam fazendo sua “siesta” todos os dias das 14 às 17 horas e, no geral, vi poucos estabelecimentos fecharem.  Leio nos jornais sobre crises com bancos e com alguns estabelecimentos que já não veem tanto mercado, como copiadoras, empresas de revelação de fotos, “fruterias” (tem muitas lojas de frutas aqui em Málaga) e também vi duas manifestações contra a demissão de professores universitários, mas sinceramente a crise em Portugal está 10x pior.

Você mora com pessoas de qual nacionalidade? Como esse intercâmbio cultural tem contribuído para sua experiência pessoal?

Moro com uma francesa que toma banho todos os dias inclusive mais de uma vez (rs só para de uma vez por todas desfazer este estereótipo que eu infelizmente também tinha) e com duas alemãs (que também não comem só carne, pelo contrário, são as pessoas que se alimentam da forma mais saudável que já vi). Eu amo viver com elas, é realmente a minha família daqui, trocamos muitas experiências: que vão desde dificuldades com o idioma, com os trabalhos até descobertas sobre como é o natal em nossos países, pratos típicos, relacionamentos, enfim, somos muito amigas (graças a Deus). E eu realmente aprendo muito com elas, não só com elas, como com todos os outros amigos estrangeiros com quem convivo, que realmente me fizeram ver que o mundo é incrivelmente maior do que eu imaginava e que as diferenças culturais são gritantes, mas por outro lado enriquecedoras e encantadoras.

Minhas companheiras de apartamento – Málaga/13

O que você diria para um estudante que tem vontade de fazer intercâmbio, mas não se decide por insegurança de estar longe de casa, da família, dos amigos, namorado (a)?

Bom, um conselho? Se você quer crescer profissionalmente e pessoalmente saia da sua zona de conforto! O mercado te pedirá isso todos os dias e a vida te exige isso constantemente, o intercâmbio ao invés de dificultar sua vida te ensinará isso com dificuldades, mas também com recompensas inesquecíveis.

Se você está na faculdade essa realmente é a hora de experimentar outras faces da sua profissão, há muito para se olhar e  admirar no mundo e na sua carreira, realmente você pode se surpreender com os rumos que sua vida pode levar, inclusive, te dando dúvidas angustiantes e certezas que podem mudar tudo. Não tenho como garantir que uma experiência assim pode ser tão vantajosa pra você como está sendo pra mim, eu realmente sinto muitas vezes que deixei muitas coisas importantes pra trás como minha família, meu namorado, meus amigos e o meu país (sim, hoje eu amo o Brasil mais do que qualquer outro país no mundo), mas é graças a essa experiência que hoje sei que eles são “uma das coisas mais importantes”, se não as mais importantes. É preciso às vezes olhar de fora para amar o que temos, é claro que amo muitos aspectos da minha nova rotina, meus novos amigos e essa nova cultura, mas hoje eu sei que as pessoas mais importantes da minha vida sempre estarão torcendo por mim, pelo meu crescimento e pela minha volta. Então, viva isso, você realmente corre o risco de se apaixonar!

Fotos por Ingrid Matos Rocha Bezerra Alves

Categorías: Entrevistas | Etiquetas: , , | Deja un comentario

Navegador de artículos

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s

Blog de WordPress.com.

A %d blogueros les gusta esto: